Atingindo a tão sonhada independência financeira

(A insatisfação é o primeiro passo para o progresso de um homem ou de uma nação –

Oscar Wilde).


No excelente livro “Os Segredos da Mente Milionária” o autor T. Harv Eker propõe o conceito de “ser milionário” para a pessoa que atingiu um nível de patrimônio pessoal (e não só de renda) que lhe permite independer do trabalho remunerado para sobreviver. Para atingir-se este objetivo, ele cita que é preciso atender a todos os itens abaixo:

1 - ter uma renda: qualquer que seja a renda (alto, médio ou baixo valor); o ideal é que se tenha também “renda recorrente” (locação de imóveis, aplicações financeiras, direitos autorais de livros, etc.).

2 - ser poupador; na minha opinião é o item mais difícil de se aprender; quem não “nasce poupador” precisa ser autodisciplinado e organizado para se adaptar. Meu pai costumava dizer que “felicidade é gastar menos do que se ganha” ... quase nunca temos controle sobre quanto vamos ganhar, porém quase sempre podemos administrar nossos gastos.

3 - aprender a investir: nada de achar que “a grama do vizinho é mais verde” ou confiar cegamente em seu gerente de banco; vá atrás de aprender sobre investimentos, sejam eles quais forem, desde financeiros até “como ter lucro criando galinhas”.

4 - simplificar: é o item normalmente mais negligenciado, porém vem a ser o mais importante; ninguém atingirá o objetivo da “aposentadoria feliz” sem simplificar hábitos de consumo (que costumam ser crescentes ao longo da vida); com o tempo, precisamos adquirir a mentalidade de ir simplificando continuamente nossas vidas, não somente no aspecto de consumo, mas também nas atividades diárias, nas relações humanas, etc.; para isso, precisamos nos dar conta de nossas crescentes limitações e de nossa finitude física.