• airtoncarlini

O que aprendi com um ÁRBITRO DE FUTEBOL

Se tem alguém que geralmente é odiado por todos, este com certeza é o Árbitro de Futebol.

No ano passado através da minha plataforma de geração de conteúdo tive a oportunidade de realizar 60 lives( muitas delas estão no meu instagram pessoal @carliniairton e outras no @papodegestaooficial) com os mais renomados Palestrantes, Empresários, Empreendedores, Executivos, Atletas, Advogados, Jornalistas, Autores de bestsellers, e um Ex-Àrbitro de futebol.

Certamente todos me ensinaram muito. Comentei que praticamente tirei o ano de 2020 para fazer um mini MBA pois o que prendi nestas lives foi algo incrível. Uma ano sem dúvida de grande aprendizado. Muitos tiveram a oportunidade de ver e ainda podem pois, como afirmei estão gravadas no instagram.

Com tanto conhecimento adquirido, pensei o que seria importante compartilhar. Tudo seria interessante. Não me restou outra alternativa senão o de começar com o mais inusitado. Um Árbitro de Futebol.

Com tanta gente competente e admirada eu vou escolher justamente um que muito provavelmente é o mais odiado por todos.

Fala sério. Você já imaginou o quanto um Árbitro de Futebol pode te ensinar em termos de gestão de pessoas e liderança?

Rodrigo Braghetto, um querido amigo, Ex-Árbitro que apitou por todo o país alguns dos mais importantes clássicos e jogos de futebol.

Alguém já parou para pensar que esta é uma das poucas profissões onde praticamente todos estão contra você? Quem já foi a uma partida de futebol sabe que os árbitros entram (ou entravam) no campo primeiro, antes dos jogadores e assim que entram, são sumariamente xingados por todos os torcedores sem que nem ao menos tenham cometido qualquer erro. Só por existirem já são ovacionados como se fossem culpados por um eventual futura derrota de seu time.

Começa o jogo. Ambos os times pressionam a todo momento. Ninguém dá qualquer trégua ao árbitro. Qualquer decisão, seja ela certa ou errada, que não agrade a sua equipe é prontamente contestada como se o maior dos pecados tivesse sido cometido. Ninguém esta ao lado do árbitro. Todos estão lá apenas para julgar os seus erros e mesmo os acertos que não lhe convenham.

Já pensaram o que se passa pela cabeça de um árbitro que tem que tomar uma decisão em centésimos de segundos e após ter tomado a decisão percebe que errou mas "não pode" voltar atrás? Imagine se isto acontecer logo no início e ele tiver que conviver com isto durante um jogo todo e ainda mais, se este erro vier a prejudicar em muito uma das equipes de modo que ela venha a perder uma partida ou até um campeonato. Além de ser considerado o "culpado" por milhões de fervorosos torcedores.

Pois é. Nunca tinha pensado nisso sob a ótica do Árbitro né!

Estes foram algumas das questões levantadas ao longo de nossa interessante conversa. A relação direta com um CEO é imediata. Os seus ensinamentos e a forma como lida com as questões levantadas são uma aula de liderança e gestão de pessoas.

Agora pense e compare isto com o que a acontece com um CEO. Um CEO tem vários concorrentes contra ele mas tem todo o seu mercado consumidor a seu lado inclusive com muitos consumidores que o defendem.

Se errar pode corrigir. Inclusive muito rapidamente de modo que poucos percebam. Ao Árbitro não é dado este direito. Compensar jamais. Iria errar novamente e criar uma situação ainda pior.

Um CEO não tem todos o xingando independente do que venha a fazer. Pode acreditar. Todos xingam o Árbitro. Um CEO gostaria de ser "homenageado" por cometer um erro que prejudicasse metade de seu mercado ou ainda metade de seus colaboradores ou fornecedores?

Com o podem perceber a conversa foi muito interessante.

QUAIS ENSINAMENTOS FICARAM?

Primeiro. Não importa qual decisão tenha tomado, siga em frente. Não deixe que eventuais erros o afetem psicologicamente. Você sempre vai cometer erros, e a melhor forma de lidar com eles é manter o equilíbrio. Não fique se martirizando pelo erro cometido. Volte o seu foco o mais rapidamente possível para a próxima ação que deva ser tomada sem que o erro cometido o influencie. Assim que possível, pare e analise . Veja o que poderia ter sido feito de outra forma e porque errou. Como CEO veja se é possível corrigir. Como Árbitro já foi mas a experiência adquirida o faz ficar mais atento para mitigar novos eventuais erros.

Segundo. Faça as coisas e tome atitude de acordo com seu conhecimento e experiência. Sempre vai ter alguém contrário ao que pensa e torce contra. Você pode e tem muita gente que faz o possível para te ajudar mas sempre vai ter muita gente que fará o possível para que suas atitudes não sejam vencedoras( mercado e concorrentes). A sua decisão depende exclusivamente de você.

Terceiro. Tome decisões com muita firmeza. Ainda que não esteja convicto de alguma decisão faça-o parecer que está. A forma firme como decide faz com que seus colaboradores se sintam convencidos de que tem razão e este é o melhor caminho a ser seguido. Nunca mostre insegurança nas suas atitudes. Você sempre deve ter transparecer certeza na atitude a ser tomada ainda que não tenha esta certeza. O líder precisa ser firme.

Quarto. Mostre muita segurança ao lidar e administrar pessoas. Seja firme com elas. Saiba conversar quando for necessário. Explique quando possível. Se não for possível explicar apenas informe o que foi decidido. Quanto mais segurança mostrar em suas decisões menos contestações terá. Mostre liderança com segurança e faça seus colaboradores sentirem-se seguros de que está fazendo o melhor possível.

Quinto. Treine muito e analise sempre onde foi bem e onde não tão bem e porque. Faça benchmark. Veja qual dos seus pares no mercado tem atuado bem e quais tem cometido erros e porque os cometem. Não tenha medo de copiar atitudes que julgue positivas. Se precisar mudar a sua forma de "apitar" (comandar), faça. O que for preciso para melhorar deve ser feito sempre.

Sexto. Tenha muita coragem. Ter muitos ou todos contra você, não é fácil. Assumir posições onde "milhões serão contra", é muito complicado. Ao líder pode faltar um monte de coisas, menos coragem e discernimento. Lembre-se. Se não tiver coragem para tomar atitudes, ainda que pressionado, você NUNCA SERÁ UM GRANDE LÍDER.

Sétimo. Aceite os julgamentos mas avalie com equilíbrio. Um Líder sofre julgamentos a todos os momentos. Normalmente o que faz bem feito, "passa batido" mas , quando erra.... Meu Deus.... parece que o mundo vem abaixo. Preste atenção nas críticas reais e construtivas, naquelas que são feitas com bom senso e conhecimento sobre o assunto. Não se deixe levar por críticas histéricas sem sentido e que tem o único intuito de prejudicar. Ouvir as críticas é um dever mas é preciso saber lidar com elas como forma de aprendizado e saber avaliá-las com muita responsabilidade e equilíbrio é o melhor a ser feito. Se forem justas, absorva e tente melhorar. Se forem injustas e sem sentido, ignore e esqueça.

Para terminar, fica o meu agradecimento ao amigo Braghetto que além de me ensinar muito sobre liderança, nunca me expulsou de campo. Foi no máximo um cartão amarelo...


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

Tel: +55 11 99491-4111

Leading.Zone

Você, liderando o que interessa

Rua Barão do Triunfo, 88 - Conjunto 707
Brooklin - 04602-007 - São Paulo, SP
CNPJ 36.615.831/0001-15

Direitos dos Clientes 

Clique aqui para ver as políticas de entrega, cancelamento, troca, devolução e reembolso

©2020 por Leading.Zone